Empresas divulgam balanços em novembro

0
84

Investidores seguem atentos às demonstrações financeiras das empresas nos meses de saída da quarentena mais pesada

Investidores seguem atentos às demonstrações financeiras das empresas nos meses de saída da quarentena mais pesada

A temporada de resultados do terceiro trimestre tem mais uma bateria de divulgações na semana que vem e os próximos dias terão 69 balanços de empresas abertas. O dia mais pesado será a quinta-feira (12), com 30 resultados.

 

O Itaú BBA estima uma expansão de vendas em mesmas lojas de 2% nas lojas físicas e um impressionante crescimento de 120% em termos anuais no Volume Bruto de Mercadoria (GMV, na sigla em inglês) da divisão de comércio eletrônico, para R$ 7,3 bilhões.

Por outro lado, a equipe de análise do Itaú avalia que uma contração na margem Ebtida (razão do lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações pela receita líquida de uma empresa) de 20 pontos-base em termos anuais, para 6,0%, após a normalização de despesas e amortizações de investimentos (como novas lojas e projeto Marisa).

Já a XP espera um crescimento de vendas no varejo físico no conceito mesmas lojas de 3,7% na comparação anual (versus alta de 9,4% no terceiro trimestre de 2019 e queda de 50,9% no segundo trimestre de 2020) enquanto espera que a operação online mostre uma forte expansão de vendas totais de 98,2% na base anual.

Já na terça-feira (10) serão divulgados os resultados de Banrisul (BRSR6), Carrefour (CRFB3), BTG Pactual (BPAC11), BR Distribuidora (BRDT3), Qualicorp (QUAL3), Sinqia (SQIA3), Santos Brasil (STBP3) e Log-in (LOGN3).

Neste dia, o mais esperado será o balanço do Carrefour, para o qual a XP espera sólidos resultados no segmento de atacado.

Já o Itaú BBA vê crescimento de 23% nas vendas em mesmas lojas, %, impulsionadas principalmente pelas robustas vendas do comércio eletrônico. Em relação ao atacarejo, por sua vez, a equipe do banco projeta uma expansão das vendas em mesmas lojas de 20% com fortes vendas ao consumidor e a outras empresas, além de um impacto positivo da inflação de alimentos.