Brasil está mal posicionado politicamente.

0
31

É triste’, diz ex-embaixador dos EUA diz Thomas Shannon.

A eleição de Joe Biden como novo presidente dos Estados Unidos deixa a relação do Brasil com a maior potência mundial “em posição delicada”, nas palavras do ex-embaixador americano em Brasília Thomas Shannon.

Em entrevista à BBC News Brasil, ele disse que “foi um erro” o presidente Jair Bolsonaro basear a relação bilateral com os Estados Unidos na sua proximidade pessoal com o atual presidente, Donald Trump, derrotado pelo democrata.

Biden assegurou neste sábado (07/11) sua vitória na Pensilvânia, superando assim os 270 delegados necessários para ser eleito pelo colégio eleitoral. Nos EUA, a eleição para presidente é indireta, feita a partir dos delegados que os candidatos conquistam pela maioria dos votos recebidos em cada Estado.

Obama parabeniza Biden e alerta para ‘desafios extraordinários’ de novo presidente
Vitória de Biden é revés para Bolsonaro e exige mudança na política externa brasileira, dizem analistas
“O presidente Bolsonaro tem um parceiro estratégico importante (EUA) onde ele está mal posicionado politicamente. É triste, porque as relações entre Brasil e Estados Unidos são importantes demais para o Brasil encontrar-se nessa posição”, lamentou Shannon.

Americanos continuam a festa de vitória para Biden e kamala.

Biden no debate buscará uma agenda climática de forma global incluindo a Amazônia e chegou a cogitar retaliações econômicas contra o Brasil se o desmatamento não parar. Para o ex-embaixador, acordos que foram rasgado por Trump vão voltar a mesa para discussão.

“Historicamente, o Brasil e os Estados Unidos desenvolveram um diálogo ambiental positivo e eu acho que isso é possível (hoje), mas muito vai depender do Brasil e a maneira como eles (do governo Bolsonaro) querem apresentar o tema ambiental, a maneira como eles mostram um desejo e uma capacidade de cooperar globalmente, multilateralmente na área de meio ambiente”, ressaltou.

 

A AMÉRICA PODE RESPIRAR ALIVIDADA

Shannon é considerado uma das maiores autoridades americanas em América Latina: além de embaixador em Brasília de 2010 a 2013, atuou como diplomata na Guatemala e na Venezuela e encerrou sua carreira pública em 2018 como subsecretário de Estado para Assuntos Políticos dos Estados Unidos.

Atualmente, atua como assessor sênior de política externa no escritório de arbitragem internacional Arnold & Porter, em Washington. Um dos clientes da empresa é o autoproclamado presidente venezuelano, Juan Guaidó, motivo pelo qual Shannon não quis comentar sobre a relação entre EUA e Venezuela em um governo Biden.

Official portrait of Vice President Joe Biden in his West Wing Office at the White House, Jan. 10, 2013.

Democrata discursou a apoiadores em Wilmington, cidade no estado de Delaware por onde ele se lançou na política. Vice eleita, Kamala Harris abriu o evento.

No discurso da vitória, Biden prega união entre americanos e diz que é tempo de ‘curar’ os EUA

Joseph Robinette Biden Jr. é um homem comum, em paz com ele mesmo e o mundo. Foi essa a boa impressão que me ficou, depois de ouvir o discurso da vitória do 46º presidente dos Estados Unidos, e de ver a foto da família Biden abraçada com ele.

 

Eleito presidente dos Estados Unidos, o democrata Joe Biden disse, nesse sábado (7), que pretende unir o país. Em seu discurso da vitória, na cidade de Wilmington, no estado de Delaware, Biden defendeu a ciência, agradeceu o apoio da comunidade negra, das mulheres e disse que a América vive, agora, o “tempo de curar”.

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here